Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

...o avesso de mim!

Eu achava-me aparentemente normal, até descobrir...

Teletrabalho ...

... em tempo de "guerra"!

20200317_084501-01.jpeg

Os tempos avizinham-se complicados!
Os arautos da verdade dizem que o pior ainda está para vir!
Os que estudam as médias da evolução lançam-nos números assustadores!
E o que vemos nós?
Que efectivamente os números começam a subir, que já sofremos a primeira baixa e que estamos longe de conseguir controlar o inimigo!
Numa guerra convencional, conhecemos quem está para lá da barricada e temos armas para o combater, quanto muito para medir forças! 
Mas nesta guerra, o inimigo é invisível e esconde-se onde menos esperamos!
Felizes os que conseguimos fazer teletrabalho, um pensamento positivo para quem tem de estar a produzir sem poder sair do local!
Energia positiva para os que estão a tentar controlar esta pandemia, para os que estão a cuidar dos doentes e para quem está a padecer da doença!
Espero que os sem abrigo não estejam a ser esquecidos neste período tão complicado.
Nunca é demais apelar ao bom senso das pessoas, resguardem-se, fiquem em casa, não vão à rua só porque sim!
Façam a vossa própria quarentena, nós já estamos a fazer a nossa!
Já o fizemos no fim de semana, agora eu com o teletrabalho e ele por estar no grupo de risco, estamos em casa! Só saíremos para fazer compras ou em caso de urgência!
Estamos a fazer a nossa parte, o nosso dever cívico!
Porque civismo não é só olharmos para o nosso umbigo, mas também protegermos quem nos rodeia!
Esperemos que seja uma quarentena breve!
Protejam-se!

Reflexão...

...de domingo à tarde!

20200301_170939-01[5175].jpeg

A chuva voltou…
Escolhi o quarto para passar grande parte da tarde de domingo!
Por entre as cortinas vislumbrei o mar e as suas ondas que se debatiam contra as rochas.
As gaivotas em terra ecoavam o seu canto, quando assim é, dizem os mais antigos, é um pronúncio de mau tempo no mar!
Na televisão informam que vamos ter muita chuva e vento a partir das 18h…
Tudo estava em concordância com o que afinal, se revelou verdadeiro!
Tenho passado os últimos dias bastante atento ao caso do vírus vindo da China, o Covid-19! Vejo sempre os noticiários e tento também acompanhar as últimas notícias através da internet.
Existem ainda tantas perguntas sem respostas?!
Em conversa com alguns familiares ouço afirmações como: é apenas mais uma pneumonia, mais uma gripe, a comunicação social é que está a extrapolar, afinal anualmente morrem aos milhares em Portugal devido a estas doenças! Afirmações que parecem descurar os avisos lançados pela OMS e pela DGS!
Fico sem saber sinceramente o que pensar, no que acreditar!
A meu ver e digam-me se estou errado, este não é um vírus qualquer, é altamente contagioso, não tem tratamento e mata quem tem o sistema imunitário mais vulnerável! E ao contrário de outras gripes / pneumonia, para esta estirpe não existem medicamentos ou vacinas que ajam diretamente no combate do vírus!
Não creio que seja necessário entrarmos em histerismos, contudo estar mais atento é imperativo!
Tomar as atitudes preventivas é imperativo também!
É inevitável o contágio no nosso país, contudo, apenas quando isso acontecer e numa escala considerável, tomarei os devidos cuidados como evitar estabelecimentos comerciais, locais com grande aglomerado de pessoas!
Penso por mim, não pelos outros, não quero de todo adoecer e depois, não quero transmitir o vírus aos que me rodeiam e que são mais vulneráveis, como os meus pais!
Se as instituições internacionais alertam, se vemos cidades inteiras em quarentena, morreram pessoas, por que não levar a sério!
Estejamos alerta!

 

O Farol ...

... da Boa Nova!

20200122_154838.jpg

 

Este é o Farol de Leça e é um dos trinta faróis do Continente, situa-se no distrito do Porto, Município de Matosinhos. Também é muito conhecido pelo Farol da Boa Nova, de resto o nome pelo qual gosto mais de o chamar!
Cresci habituado a ver este monumento, perto da zona onde morava, as noites sempre foram iluminadas pela sua luz, a mesma que serve de ajuda à navegação marítima!
De há uns anos a esta data, o Farol encontra-se aberto ao público todas as quartas-feiras, onde de forma gratuíta os mais curiosos podem conhecer um pouco mais da sua história e subir ao cimo onde podem apreciar a paisagem em redor!
Nós que moramos perto, nunca nos propusemos a visitá-lo, apesar da imensa curiosidade que acabamos por 'matar' na passada quarta-feira!
Aproveitando que ambos estávamos em casa, após uma volta por uma loja de móveis, rumávamos à praia quando nos lembramos que poderíamos aproveitar aquele momento para visitar o Farol!
Assim fizemos então, com outros dois visitantes, fomos acompanhados pelo Faroleiro que nos fez subir as 250 escadas até ao cimo do monumento, falou-nos da história, da mecânica que antigamente fazia trabalhar o farol, até ao método actual que o farol utiliza na ajuda à navegação!
Adorei a visita, adorei o conhecimento que nos foi dado de forma gratuita, mas sobretudo amei a paisagem que podemos observar do topo do Farol!
Partilho uma das fotos que tirei, virado a sul, onde ao longe podemos ver a doca de Leixões e o novo Terminal de Cruzeiros!
Se ainda não conhecem, não percam tempo...todas as quartas-feiras!
Bom fim de semana.

20200122_153904.jpg

Levantar voo...

...e ir mais além!

20200109_162123-01.jpeg

Que mais é a vida, senão um constante levantar voo e tentar ir mais além?
Será que alguém consegue viver simplesmente acomodado?
Existirão pessoas que apenas sobrevivam, sem sonhos, sem metas, sem objectivos?
Acredito que somos feitos do futuro que há-de vir...só assim faz sentido viver!
E é esta minha vontade constante de ir mais além que me faz ir, arriscar, acreditar...
Eu vou, levantar voo, eu vou, porque quero sempre ir mais além!

Bom domingo!

O meu mar...

...amigo!

20200109_162410.jpg

Fomos ver o mar!
Mar revolto que se debateu vezes sem conta contra as rochas que o impediam de avançar!
O areal enchia-se de espuma, jamais o vira assim!
Percebi horas depois que havia mau tempo no mar...
As gaivotas estavam em terra, quietas, recolhidas aguardavam o fim deste cenário para poderem encetar de novo a busca pelo alimento!
Mar bravio este...
Este mar que eu adoro!

O meu mar amigo!

Este é o mar que me ouve,
Este é o mar que me deixa envolver 
As minhas lágrimas são parte dele
Onde salgo todas as minhas tristezas
E deixo que a força do mar as leve

Este é o mar que me sente,
Este é o mar que sufoca o meu grito
Por entre a força das ondas eu choro
Ninguém mais ouve o meu lamento
Sou só eu e o mar meu amigo!

Este é o meu mar de sempre,
Este é o mar que eu procuro
Em silêncio, ou tempestuoso
Liberto nele todas as dores
E trago todo o alívio do mundo!

Este é o meu mar
Este é o meu mar amigo!

Dezembro...

...é Natal!

IMG_20191201_181202[3504].jpg
Iluminações de Natal em Matosinhos

 

Com um dia de atraso, não poderia deixar de vir dar as boas vindas ao mês de Dezembro!
Dezembro é o último mês do ano, portanto aquele que mais trabalho nos dá, mas que também maior conforto espritual nos transmite, ou vocês não pensam assim?
As pessoas já começam em Novembro a falar do Natal, a organizar préviamente o destino da noite de ceia, ora passam em casa com os pais, ora com os sogros, ora sozinhos. 
Nós este ano, passaremos a noite com os meus!
Cedo se começa também a falar em prendas, aquela pessoa especial a quem queremos oferecer algo, mas que por muito que pensemos nunca sabemos o que dar. Eu por exemplo nunca sei o que dar à minha mãe...ela tem tudo!
Das sobremesas também acabamos por começar a falar, desde logo, para perceber quem vai fazer o quê e para que também tenhamos fartura mas sem desperdício.
Na verdade desde muito cedo que as pessoas começam a entrar no espírito!
Adoro o Natal!
Por estes dias, foi a inauguração das luzes de Natal na cidade onde cresci, como trabalho perto resolvi ir assistir. Debaixo de chuva, sozinho, decidi que não poderia perder tal momento e assim acabei por me  deixar envolver verdadeiramente pelas emoções que esta época me traz!
Para mim Dezembro também é o mês das decisões, de pensar nos sonhos e de organizar um plano para o novo ano que se aproxima.
Existem sonhos pendentes, será em 2020 que os concretizarei?
Para mim Dezembro é um mês em cheio!
Para mim Dezembro...
Dezembro é Natal!
É quase Natal minha gente!

Um gesto nobre...

Esta é uma história com contornos muito pouco esclarecedores, contudo com um final feliz!
Aconteceu hoje em casa da minha mãe!

20191029_110559.jpg

Lá por casa, sempre tivemos animais, galinhas, coelhos, cães, porcos, cabras, ovelhas, pombas e muita mais variedade de aves, alturas ouve mais parecia um mini zoo! Hoje em dia, com a idade dos "velhotes" a avançar, foram diminuindo o número de bichos, contudo ainda temos cabras num dos terrenos, uma cadela Serra da Estrela, galinhas, pombas, um canário, e ainda a nossa gata que ficou lá desde Maio, pois aqui neste apartamento alugado não nos permitem ter animais de estimação!
O terreno das cabras, como gostamos de lhe chamar, fica junto a uma estrada com grande movimento, muitos são os curiosos que durante o dia lá param a observá-las! E talvez por muita gente conhecer o espaço que temos e o gosto que temos em cuidar dos animais, o incrédulo aconteceu...
Hoje de manhã, a minha mãe assim que foi soltar as cabras para o terreno, avistou num canto do terreno enroscado um canídeo com ar bastante assustado! Aproximou-se e com receio de ser atacada chamou o meu padrasto que curioso conseguiu abeirar-se do animal e trazê-lo para o pátio de casa! O animal assim que começou a ver mais gente, parece que ganhou vida e começou a correr de lado para lado e a saltar a pedir mimos às pessoas.
A minha mãe com pena do bicho foi buscar-lhe àgua e de comer, acreditamos que tenha passado a noite naquele terreno! Acreditamos também que foi atirado para ali, visto não existir outra forma do mesmo entrar no terreno! Ou seja, abandonaram-no ali, possivelmente alguém sem coração, contudo com o discernimento de não o abandonar na rua à própria sorte!
Mas mesmo assim é uma crueldade! Os animais também tem sentimentos, também sofrem, será que as pessoas não pensam nisso?
Recolhidos na marquise, começamos a perceber que o animal, descobrimos entretanto ser uma cadela, já se estava a ambientar ao sofá, às pessoas e sobretudo à minha mãe que se deixou também ela afeiçoar!
Mas, que fazemos agora? Ficamos com o animal? E se tem dono? E se a vem buscar depois?
Decidimos então e visto que a minha mãe não se importaria de ficar com ela, fomos ao veterinário tentar perceber se teria chip! Assim que percebemos que não teria chip e que se tratava de uma cadela possivelmente de raça com mais ao menos 6 meses, adoptamo-la imediatamente !
Colocamos o chip, desparasitamo-la e ali decidimos que se chamaria Chica!
A minha mãe não tem idade para preocupações, contudo vai tentar habituar a Chica à marquise, senão ficará no pátio durante a noite a guardar a casa com a Serra da Estrela!
Mas...
Porque em toda a história existe sempre um mas!
No veterinário foi-nos dito que a Chica seria muito provavelmente de raça Teckel, portanto um cão de caça, com temperamento teimoso e que destrói tudo o que vê à frente para atingir os seus fins!
Estão a imaginar um cão de caça numa casa com galinhas?! Pombas?!
Bem, como a minha mãe não foi ao veterinário, eu e a minha sobrinha decidimos guardar segredo sobre este "pequeno" pormenor acerca da raça! 
De certeza que ela vai ser uma Teckel diferente... (digam que sim!!!)
Assim sabemos que ela tem um tecto para dormir, mimos, comida e água também não lhe faltarão! De outra forma iria parar a um canil e depois saberíamos lá nós o destino dela!
Um gesto nobre...com quem desde logo nos conquistou o coração!
E pronto, esta é a Chica!

Monte Santa Tecla

20190813_153839.jpg

Nas nossas férias, em Agosto, em família tiramos um dia para rumar ao norte de Portugal!
De Valença a Vila Nova de Cerveira, aproveitamos para visitar, conviver e tirar umas fotos para mais tarde recordar!
Numa pesquisa feita anteriormente descobri que do lado de lá, em Espanha existia um monte bastante visitado e que oferecia para além de muita história uma vista fenomenal, de cortar o fôlego...o Monte de Santa Tecla!


O Monte de Santa Tecla é um fantástico miradouro natural, com vista para a foz do rio Minho, para o vale do Rosal e para o oceano Atlântico. No topo, duas elevações destacam-se: o Pico do Facho, com 328 metros, (a olhar A Guarda) e o Pico de San Francisco, com 341 metros de altitude, onde está a capela, o hotel e lojas, o museu e a vista para a costa portuguesa e a foz do rio Minho, a juntar-se com o Atlântico.

A meio da ladeira do Monte de Santa Tecla, estão as ruínas do que foi uma grande cidade: a citânia ou castro de Santa Trega / Santa Tecla. Estima-se que terão vivido aqui entre três mil a cinco mil pessoas, no século IV a.C.. No castro, que foi recuperado e onde se pode visitar uma das casas reconstruídas, terão vivido umas 150 pessoas, portanto, espelha bem que a população estava espalhada por todo o monte.

Aconselho a quando rumarem ao norte de Portugal, atravessarem a fronteira, sem medo, por lá encontrarão esta agradável surpresa, fica em A Guarda!