Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

...o avesso de mim!

Eu achava-me aparentemente normal, até descobrir...

Fusilli, camarão, chouriço e tomate frito

depositphotos_94553728-stock-photo-fusilli-with-sh


Para hoje, uma nova receita que gostamos de fazer cá em casa!
Confesso que este é daqueles pratos que não consigo comer apenas uma dose, repito sempre e ainda assim se pudesse comeria mais vezes.
Da última vez, levei um pouco para o meu almoço no trabalho, acreditam que tive colegas a penicar no meu 'tacho'? Diziam eles que de aspecto estava fantástico, mas que de sabor estava fenomenal!
E depois encho-me de orgulho dos nossos dotes culinários!


 


 Ingredientes



  • 400 g fusilli

  • 600 g camarão cozido

  • 200g chouriço picante

  • 4 colheres de sopa azeite

  • 2 dentes de alho picados

  • 250 ml polpa de tomate frito

  • 10 folhas de manjericão fresco

  • 50 ml vinho branco

  • 1 colher de sopa óleo

  • sal


 


Preparação



  1. Começamos por cozer a massa. Pomos água a ferver com sal e um fio de óleo (1 colher de sopa). Quando a água estiver a ferver deitamos a massa e deixamos cozer cerca de 10 minutos. Vá provando a massa, deverá ficar “al dente” , ligeiramente dura, não a deixe cozer demais! Escorremos e passamos por água fria.

  2. Enquanto a massa coze preparamos o molho.
    Descascamos os camarões cozidos e reservamos uns 8/10 para decoração (o camarão pode ser comprado já cozido ou podemos cozê-lo em casa).

  3. Tiramos a pelo ao chouriço e cortamos às rodelas – reservamos.

  4. Numa frigideira pomos 4 colheres de sopa de azeite e levamos o chouriço a fritar. Juntamos o alho picado e deixamos fritar mais um pouco.

  5. Deitamos o vinho e deixamos ferver para que evapore. De seguida, deitamos a polpa de tomate e deixamos cozinhar cerca de 5 a 7 minutos. Para finalizar juntamos as folhas de manjericão e os camarões descascados e deixamos cozinhar cerca de 2 ou 3 minutos.

  6. Misturamos a massa neste molho e servimos. Utilizamos os camarões que não descascamos para decorar.


Bom apetite!

Quem conta um conto...

boatos_filos.jpgSegundo a sabedoria popular, quem conta um conto...acrescenta-lhe um ponto!
Às vezes são dois, três ou mais pontos!!!
É incrível a capacidade do ser humano de reinventarem as histórias que ouvem, ou até ao terem percebido mal, ousarem reproduzir a história à sua maneira.
Por estes dias, um familiar nosso sofreu um grave acidente automóvel! Felizmente, apesar do susto enorme que todos nós apanhamos, e apesar da gravidade, nunca correu perigo de vida e após uma operação de várias horas, resta-lhe agora a recuperação! 
O caricato desta situação, sendo ele de um meio mais pequeno onde toda a gente se conhece, nas ruas da àrea de residência e mesmo das vilas em volta comentava-se em surdina o sucedido.



«Ah fulano teve um acidente!»
«Àquela hora, de madrugada, coisa boa não estava a fazer?!»
«Dizem que vinha bêbado!»
«Parece que anda na droga, senão como tinha ele dinheiro para um carro tão potente?!»



Mas, será que as pessoas não sabem colocar-se na vida delas?
Que se fale, que se comente, até entendo, agora inventarem?!
Mas, será que a sociedade não evolui favoravelmente?!
Lamentavelmente este tipo de comportamento enoja-me, onde se distorce a realidade só porque sim e denigre-se então a vida de um jovem que simplesmente saiu para se divertir e no regresso a casa sofreu um acidente!
Não estava bêbado, não se droga, nem tão pouco adormeceu ao volante! Culpados do acidente, as seguradoras hão-de decidir! Mas a língua das pessoas, essa, nunca deixam de criar intrigas!

Visitas ao imóvel - episódio 2

thinkstockphotos-615726214.jpgHoje tivemos a segunda visita ao imóvel!
Notamos que as visitas tendem a suceder-se e algo me diz que muito em breve o apartamento estará vendido.
Mas hoje, aconteceu-nos algo inusitado, algo que não estava à espera!
A visita ao imóvel decorreu da melhor maneira, com apreciações bastante positivas por parte dos interessados, quiseram ver a garagem e senti que os comentários que ambos tinham deixavam transparecer um interesse elevado!
Estávamos no bom caminho até que nos cruzamos com o administrador do condomínio que ao conhecer os clientes começou ali com uma conversa bastante estranha.
De início pensei, ele está a brincar, mas de repente senti que o objectivo dele era vender o próprio "peixe", ou seja ele também ao gerir alguns imóveis tinha alguns para venda e até clientes interessados na compra do imóvel que os clientes tencionavam também vender! A sério?
Fiquei incrédulo com a situação, achei de uma deselegância não só para comigo como com a agente imobiliária que estava a acompanhar os clientes!
Da minha parte, apenas consegui alertar em tom irónico que parecia estar a querer estragar o meu negócio, mas ele não se enxergou e continuou com algumas depreciações em relação ao meu prédio!
Confesso-vos, estou em pulgas por me cruzar com ele novamente, pois não vou, de todo deixar que ele volte a intrometer-se na vida dos outros e que ouse também estragar os negócios alheios!
Isto há gente...


 

Fomos ao cinema - Escape Room


Não é de agora a nossa 'panca' por filmes de terror ou suspense, e hoje ao chegarmos à bilheteira ainda sem sabermos que filme escolher, não foi complicado decidir assim que vimos 'Escape Room' em exibição!
 ‘Escape Room’ é uma mistura de ‘Jogos Mortais - Saw’ com as famosas salas em que um grupo de amigos são trancados e onde precisam cumprir desafios para sair do local. Enquanto na vida real essas salas são feitas meramente para diversão e interatividade, no filme a brincadeira torna-se bem mais tensa e mortal.
Neste filme ao invés do comum banho de sangue, os realizadores decidiram apostar antes na tensáo, com a qual conseguiram prender-nos ao ecrã do princípio ao fim.
Resumidamente, no filme, seis estranhos recebem umas caixas pretas bem enigmáticas com ingressos para uma sala de fuga imersiva para terem uma chance de ganhar muito dinheiro. Trancados em várias salas com condições extremas, eles tentam descobrir os segredos, desvendar os enigmas por detrás de cada sala e lutam assim para sobreviver e encontrar uma saída.
Confesso que adoramos o filme!
Curiosos? Já o viram?

Portugal Chama




Portugal Chama, Portugal grita!
Todos os anos o mesmo cenário, o mesmo flagelo, as mesmas dificuldades, as mesmas tragédias!
E Portugal Chora então muitas vezes os mortos e as perdas avultadas!
Portugal, Portugal, Portugal e nós só conseguimos gritar Portugal nas alegrias!
É lançada esta sexta-feira a nova campanha governamental contra os incêndios.
Chega de imparcialidade, chega de assobiar para o lado, arregacemos as mangas e contribuamos para que ano após ano possamos diminuir os fumos que invadem o nosso céu!
Ainda é cedo, estamos em Janeiro, faz frio, chove, porque não começarmos já a preparar o próximo verão?
Sabemos perfeitamente o perigo que nos envolve anualmente, porque não começarmos a limpar as nossas florestas, os nossos terrenos?! Porque não alertarmos os nossos pais, os nossos avós para evitarem as queimadas só porque sim, ajudando-os a agir de forma correcta?! 
Tornemo-nos pessoas mais alertas, para que possamos denunciar comportamentos de risco e tornemo-nos nós pessoas mais cuidadosas do nosso planeta, quer na ponta do cigarro que atiramos à rua, quer no lixo que de forma preguiçosa lançamos pela janela do carro!
Por um Portugal sem fumo, vale a pena fazer este esforço!

A cozinha em casa...

Risotto de cogumelos e bacon


risoto-de-cogumelos-e-bacon--md-145180p217223.jpg


Hoje inicio aqui uma nova rubrica, a cozinha em casa e o que de melhor vamos fazendo quando temos disponibilidade e tempo. A cozinha não é o meu forte, mas juntos chegamos lá...
Para a estreia deste espaço de culinária aqui no blogue, partilho convosco o prato de hoje, Risotto de Cogumelos e Bacon.
Confesso que não é fácil atingirmos o ponto R, como quem diz o ponto ideal de cozedura do risotto, mas depois de aprendermos já não existe mais margem de erro!
Vamos à receita?

Ora então, as medidas que apresentamos são para quatro pessoas.



  • 1 cebola pequena

  • 1 dente de alho

  • 50 g de margarina Vaqueiro

  • 50 g de bacon em tirinhas finas

  • 200 g de cogumelos

  • 200 g de risotto 

  • 0,5 dl de bom vinho branco

  • 6 dl de caldo de galinha (ou água)

  • sal

  • 50 g de queijo parmesão

  • pimenta em grão



A preparação:

 


Picar finamente a cebola e o dente de alho e  refogar em metade da margarina Vaqueiro. 
Deixar alourar ligeiramente e adicionar o bacon em tirinhas finas.
Lavar e picar os cogumelos e juntar ao refogado.
Deixar saltear. 

Adicionar o risotto, envolver e regar com o vinho branco.
Deixar evaporar um pouco, mexendo, sobre lume brando.
Adicionar o caldo de galinha, ou a água, a pouco e pouco, à medida que for necessário, mexendo sempre fazendo movimentos em 8.

Temperar com sal e, quando o arroz estiver "al dente", juntar o queijo parmesão, ralado no momento.

Deixãr incorporar mexendo sempre. 
Retirar do lume e adicionar a restante margarina Vaqueiro.
Continuar a mexer, sempre com o mesmo movimento em 8 e temperar com pimenta, moída na altura.

Vão experimentar ou é já um prato que confeccionam de forma recorrente?

Bom apetite.

Princípios e valores

filmes-multiculturais-para-criancas-e-adolescentes


Na empresa onde eu trabalho, existem princípios e valores que nos foram explicados em contexto de formação, os quais após adquiridos deveriam ser colocados em prática de imediato!
Exerço funções num edifício, um pouco ao estilo, 'Torre de Babel', digo isto devido aos diferentes idiomas que se falam em cada piso! Vai daí, como devem entender são diversos os funcionários, oriundos de diferentes países!
Inglaterra, Brasil, França e todos os demais países que se fala o inglês, o português e o francês, faz com que tenhamos uma mistura bem consistente de raças, cores e língua!
Como referi no início, na formação fomos bem massacrados com a ideia de que ali impera o respeito pela raça, origem, cor e até orientação sexual! Bem explícito ficou que se um terceiro ouvisse alguma conversa com teor racista para alertar de imediato as chefias.
Pensei para mim, este é o tipo de política que merece de todo o meu aplauso.
O que é certo é que desde que lá estou, que não me coloco em posição arriscada, nem tenho dado conta de quem o faça. Existe respeito pelas regras!
Mas...
Porque há sempre um mas, classifico a minha educação num nivel superior, porque acho que esta me foi transmitida de uma forma exemplar por parte dos meus! Daí que tenha sempre o bom dia, o bonjour ou até o good morning sempre na ponta da língua...
Pois é, eu tenho e não precisei de tradutor para o fazer, muito embora pareça que a bem mais da metade daqueles funcionários estas palavras não lhe façam algum sentido, porque simplesmente não as verbalizam!
Então vejamos, entro na sala social, digo bom dia e nem sequer um olhar me dão! Tipo, eu disse bom dia, alto e bom som! Compreendo quando está muita gente seja mais difícil de me ouvirem, mas o resultado é o mesmo se estiverem apenas duas ou três pessoas!
Entro no elevador, cruzo-me com as pessoas com quem estamos habituados a trabalhar, e estas nem um sorriso! Vá, daria um desconto por ser de manhã bem cedo, mas o mesmo acontece a meio do dia!
Eu pergunto-me; vou deixar de dizer bom dia?
Sinceramente já pensei nisso, mas receio sempre passar eu por ser uma pessoa malcriada!
Ainda não percebi bem como me posicionar, já que acredito, não conseguirei moldar a educação das pessoas à minha volta!
Não gosto deste tipo de atitude, de todo, é desanimador!

Visitas ao imóvel - episódio 1

Visitas-inesperadas.jpgEsta não é a primeira vez que decidimos colocar o nosso apartamento à venda e considero-me já à vontade com as visitas que vamos recebendo de possíveis clientes! 
Assim foi da última vez que pusemos um anúncio na imobiliária, como agora que em duas semanas já recebemos a primeira visita!
A verdade é que faço por estar sempre presente em cada visita, ao contrário de outros que entregam as chaves ao agente imobiliário, eu não consigo ainda fazer isso, prefiro com a minha presença estar disponível para qualquer dúvida que possa surgir.
A experiência de outras vezes leva-me  a analisar o cliente que acaba de entrar no nosso lar, já me apercebi do mais observador no que diz respeito ao estado do imóvel, ao mais atrevido (simpático) no sentido em que elogia a decoração e percebemos ali que tudo o resto não lhe interessa, como outros que pura e simplesmente estão ali para nos fazer perder tempo!
Este sábado passei a manhã a limpar a casa, tendo em conta que o faço todas as semanas, mas desta vez em especial porque iria ter a primeira visita desde que há duas semanas nos decidimos novamente a tentar vender a casa.
Um casal acompanhado pela agente imobiliária, simpáticos, ele muito observador a todos os defeitos que pudessem existir, ela mais calada dando a entender desde o início que talvez não fosse aquilo que procurava!
Já pensei, nestes momentos esconder as fotografias que tenho espalhadas pela casa, no sentido  que não tenho que partilhar a minha vida pessoal com estranhos, pois percebo sempre uma certa curiosidade destas pessoas olharem as fotos e ficarem a admirá-as, é estranho não?!
Notei que ela parou imenso tempo a olhar as fotografias! Enfim...
Resumindo, no final da visita o jovem foi sincero comigo e disse que apesar de gostar do imóvel, localização, àreas comuns, este não lhes serviria porque não tem varandas!
Claro que dei a entender que compreendia, contudo, pergunto-me:
Eles não colocaram essa questão aquando da reunião com a imobiliária? Ou esperaram pela visita para atirar com essa 'novidade'?
Irrisória para mim foi a desculpa que deram a seguir, como tem um animal, de Inverno para não o trazerem à rua, deixam-no na varanda!
Mas, deixam-no na rua para que este possa fazer as suas necessidades? Mas eles acham que os vizinhos vão aceitar este cenário para levarem com mau cheiros e barulhos, só porque os meninos não querem trazer o animal à rua?
Não entendo sinceramente!
Já sei que estes não serão de todo os novos donos do nosso apartamento, talvez até eu prefira vendê-lo a quem saiba realmente estima-lo e mais, assim como nós, não dêem dores de cabeça ao condomínio!


 

Cinema em casa: Amaldiçoados

Num sábado à noite, onde para além da chuva que cai lá fora, um frio imenso e ainda o vento que se vem juntar à festa, forma-se assim o cenário perfeito para um serão a dois!
Então após o jantar, calhou a mim a escolha do filme!


 


Amaldiçoados


 


M.jpg


"É uma história para dormir que quase todas as crianças da pequena cidade de Summerset já ouviram. Uma história passada de geração em geração que oferece suficientes calafrios para manter a lenda viva. Mas este ano é diferente. Amanda Drake, de sete anos, é raptada do seu quarto. Depressa surgem os rumores: a bruxa está de volta... Sempre disposto para um bom susto, e uma oportunidade para impressionar as raparigas, Zach e os seus amigos decidem entrar na floresta e descobrir a misteriosa casa velha onde supostamente vive a lendária bruxa. Sem o conhecimento de Zach, o seu irmão mais novo, Max, e a sua namorada Sammy, acompanham-nos. Pouco depois, todos vão perceber que o folclore nem sempre é um mito e que, às vezes, as histórias para dormir tornam-se reais. A bruxa regressou, com intenção de lançar os seus feitiços para enganar, caçar e finalmente consumir as crianças locais – as mais pequenas para se manter jovem, e os mais velhos para…"


 


 


Vimos, gostamos, mas ainda assim estávamos à espera de mais!
Alguém já viu o filme? O que acharam?

Pág. 1/3